Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 17 de dezembro de 2016

Futanari

Pedras representando dōsojin
encontradas perto de Karuizawa, Nagano (Japão)
Futanari (ふたなり, raramente:  二形, 双形, literalmente: "forma dual"; 二成, 双成, literalmente: "[ser de] dois tipos") é a palavra japonesa para o hermafroditismo, que também é usada em um sentido mais amplo para a androginia.

Hodiernamente, o termo também é usado para descrever um gênero comumente pornográfico de eroge (videogames eróticos), mangás e animes que incluem personagens que mostram ambas as características sexuais primárias. Na linguagem de hoje refere-se quase exclusivamente aos personagens que têm uma aparência no geral feminina. Neste caso, o termo é também frequentemente abreviado como futa(s), que é ocasionalmente também usado como um termo generalizado para as obras em si.

Ranma Saotome (nos dois gêneros)
do mangá Ranma ½, exemplo de
futanari na cultura popular
Origens históricas
A religião popular japonesa criou diversas fantasias relacionadas com características sexuais. Peças orais tradicionais que datam de centenas de anos apresentam evidências concretas que uma mudança de gênero não era descartada e que a representação do gênero era usada para adorar deidades como os dōsojin (kami [espíritos] tutelares das fronteiras, protetores dos viajantes e aldeias) que às vezes têm sexo ambíguo, não sendo nem macho nem fêmea. As origens podem chegar até os princípios do Budismo, posto que as deidades não teriam necessariamente um gênero fixo ou determinável.

Da mesma forma, a crença espalhou que algumas pessoas poderiam mudar de sexo dependendo da fase da Lua. O termo "meia-lua" (半月 hangetsu) foi cunhado para descrever tais seres. Presume-se que trajes tradicionais, que tornavam mais difícil distinguir os homens das mulheres, como em outras culturas, pode ter tido uma influência sobre o desenvolvimento dessa crença. Para restringir às mulheres acesso a áreas proibidas e para evitar o contrabando ao ocultar itens dentro da bolsa presa à cintura, postos de guarda eram designados a revistar o corpo das pessoas. Em registros históricos, pode ser visto que guardas gostavam de brincar sobre este assunto com bastante frequência, resultando em várias estórias e até mesmo poemas. Se foram anomalias anatômicas, como clitoromegalia (clitóris exageradamente desenvolvido), ou outro desenvolvimento físico incomum que levaram a esses pressupostos permanece uma questão em aberto.
Bandō Tamasaburō V (centro),
famoso ator onnagata contemporâneo

Até 1644, quando os atores onnagata (homens que interpretavam papéis femininos) eram obrigados a adotar penteados masculinos independentemente do sexo que eles representassem, os que interpretavam personagens como mulheres guerreiras se aproveitavam do interesse na qualidade futanari, que era comum tanto entre samurais como entre plebeus.

Fonte

Nenhum comentário:

Acompanhe-nos pelo Facebook

Calendário da Lua